Banho Turco: saiba como funciona e quais seus benefícios

Banho de banheira, de mar, de piscina, de assento, de chuveiro, enfim, nomes aos quais já estamos para lá de familiarizados. Mas você já ouviu falar de Banho Turco? Se não conhece, aproveite os próximos parágrafos para descobrir…

Banho Turco nada mais é do que um tipo de banho no qual a pessoa fica em um ambiente quente e cheio de vapor. Dá uma olhada nos benefícios que ele pode trazer:

  • Desintoxica o organismo, favorecendo a redução dos sais, gorduras e impurezas;
  • é recomendado por médicos para as pessoas com alergias na pele e pulmões, além de casos de sinusite, bronquite, resfriados e rinite;
  • auxilia no combate à obesidade, ao reumatismo, esgotamento físico e mental;
  • quando comparado à sauna, o Banho Turco é melhor tolerado pelas mulheres em geral.

Banho Turco: proibições, procedimentos e recomendações

Turco ou não, o banho a vapor não é recomendado em casos de pressão alta, doenças cardíacas ou distúrbios de circulação.

Antes de frequentar o Banho Turco, o ideal é consultar o médico de família; e para obter seus benefícios sem causar possíveis desconfortos, o ideal é não ultrapassar 15 minutos de utilização do procedimento, por vez.

banho-turco-hamam-beneficios

O Banho Turco (ou “Hamam”) existe há milhares de anos

Se você é iniciante nessa modalidade de banho terapêutico, é recomendado fazê-la apenas uma vez, até ir se acostumando.

Para entrar no Banho Turco, comece com uma ducha para abrir os poros. Isso ajuda a retirar do corpo cremes, maquiagem ou quaisquer outros produtos.

Em seguida, seque bem a pele, e entre na cabine de Banho Turco, que deve estar a temperaturas entre 40º e 45º, permanecendo no mínimo 10 minutos e, como já disse acima, no máximo 15 minutos por sessão.

Porém, se houver algum mal-estar ou incômodo, saia imediatamente.

Ao deixar o Banho Turco, passe por uma ducha de água fria ou morna, começando pelos pés e subindo aos poucos até a cabeça.

Então, seque o corpo e repouse durante cerca de 10 minutos antes de repetir o procedimento, se for o caso. Não esquecendo que, toda vez que entrar, é importante seguir os passos anteriores, sem ignorar os períodos de intervalo.

No final, tome uma ducha e esfrie o corpo antes de se vestir, para não transpirar mais e para evitar resfriados.

Curiosidades sobre os Banhos Turcos

Turistas conseguem a sensação de verdadeiros sultões nos Banhos Turcos de Istambul, que oferecem estruturas suntuosas para relaxamento e socialização.

O Banho Turco (ou “hamam”), na verdade, existe há milhares de anos, sendo suas origens datadas de antes de Cristo, em diversas regiões do que conhecemos como Oriente Médio e Mesopotâmia.

Origem do Banho Turco

E por falar em origem, os primeiros balneários (termas) da região, surgiram por conta da necessidade de mercadores da Turquia. Eles percorriam distâncias enormes, atravessavam desertos e acabavam exaustos. Ao final de cada viagem, tinham a pele ressecada e os poros entupidos pela poeira.

Nada melhor do que banhos nos quais se podia desobstruir os poros, aliviar vias respiratórias e pulmões, e ainda hidratar o corpo.

Inicialmente, eles eram oferecidos em locais construídos em mármore, com tetos côncavos e caldeirões de barro. Neles, se fervia água com folhas de eucalipto.

Não demorou para a novidade cair no gosto daqueles povos e se espalhar pelas civilizações árabe e armênia, conquistando inclusive os romanos.

Os Banhos Turcos tinham outra finalidade, a socialização, principalmente das mulheres, normalmente impedidas de convívio além dos limites de suas casas. Era tradição, a cada 15 dias, dar dinheiro às esposas para elas irem ao “hamam”. Quem desrespeitasse, teria que dar o divórcio.

Os tempos são outros, os comportamentos e técnicas mudam. Mas o Banho Turco está aí, para você aproveitar bons momentos, cuidar do bem-estar e da beleza.

Até a próxima!

Posts Relacionados:

Leave a Reply